Escola Sergio Luiz Henn

Educação com compromisso.

Água

Água Virtual

http://www.sabesp.com.br/CalandraWeb/CalandraRedirect/?temp=4&proj=sabesp&pub=T&db=&docid=01DA58C98B0A62D7832571CA0046F76C

Estamos habituados a calcular, no uso doméstico, um consumo médio de 200 litros por habitante/dia. Porém, considerando outros usos, quantos litros de água uma pessoa consome por dia? A resposta está no cálculo da água virtual.

Mas, o que é “água virtual”?

É a quantidade de água gasta para produzir um bem, produto ou serviço. Ela está embutida no produto, não apenas no sentido visível, físico, mas também no sentido “virtual”, considerando a água necessária aos processos produtivos.  É uma medida indireta dos recursos hídricos consumidos por um bem.

Por exemplo, para produtos primários como cereais e frutas, o cálculo da água virtual é relativamente simples: é a relação entre a quantidade total de água usada no cultivo e a produção obtida (m³/ton). A estimativa da água requerida no cultivo dos vários tipos de plantas é feita em função do tipo de solo, clima, técnica de plantio e irrigação, etc. Existem softwares que podem ser usados para este fim. Uma vez obtida a água virtual do produto primário, um inventário hídrico deve ser feito acompanhando os vários passos para obtenção do produto final.

O termo “água virtual” foi introduzido em 1993 por Tony Allan (1). Ele expôs essa idéia durante quase uma década para obter reconhecimento da importância do tema, que envolve disciplinas de meio ambiente, engenharia de alimentos, engenharia de produção agrícola, comércio internacional e tantas outras áreas que se relacionam com a água.

Atualmente, em discussões técnicas, esse parâmetro está sendo avaliado como um instrumento estratégico na política da água. É o caso do comércio agrícola, que promove uma gigantesca transferência de água de regiões onde ela se encontra de forma abundante e de baixo custo, para outras onde ela é escassa, cara e seu uso compete com outras prioridades.

Vale citar como exemplo a China, que importa cerca de 18 milhões de toneladas de soja por ano, a um custo de 3,5 milhões de dólares. Por esse caminho ingressam naquele país cerca de 45 milhões de m³ de água. Um recurso hídrico que a China não teria disponível para cultivar essa soja.

Outro exemplo que vale a pena citar é o das exportações de carne do Brasil. Em 2003, o país mandou para fora 1,3 milhão de toneladas de carne bovina, com uma receita cambial de 1,5 milhão de dólares. Por esse caminho, acabou exportando também 19,5 km³ de água virtual (19,5 bilhões de m³).

Deve ficar atento ao fato de que estas modalidades de comércio crescerão em futuro próximo, paralelamente ao esgotamento e a contaminação dos recursos hídricos.

Dados recentes da UNESCO (3) dão conta que o comércio global movimenta um volume anual de água virtual da ordem de 1.000 a 1.340 km³, sendo:

- 67 % relacionados com o comércio de produtos agrícolas;

-  23 % relacionados com o comércio produtos animais;

-  10 % relacionados com produtos industriais.

No 3º Fórum Mundial da Água, realizado em 2003 nas cidades de Kyoto, Shiga e Osaka, o Brasil foi citado como o 10º exportador de água virtual (atrás de Estados Unidos, Canadá, Tailândia, Argentina, Índia, Austrália, Vietnam, França e Guatemala). Os maiores importadores são: Sri Lanka, Japão, Holanda, Coréia, China, Indonésia, Espanha, Egito, Alemanha e Itália. É interessante notar na figura os fluxos de água virtual no planeta.

Água virtual no comércio global

Consumo de água virtual em diferentes países

A pegada de água de um país inclui duas partes – a interna, oriunda do próprio país, e a externa, oriunda de outros países, portanto, relacionada com as importações.

A pegada de água média global é de 1243 m3 por habitante por ano, e varia muito de país para país. Portugal tem uma pegada de água muito elevada, de 2264 m3/hab/ano, sendo que 54 % da mesma é externa.

Para que se vejam as diferenças, a seguir estão indicadas as pegadas de água médias de alguns países, em m3 por habitante por ano, e entre parêntesis, a percentagem da mesma que é externa:

  • Portugal – 2264 (54%)
  • Espanha – 2325 (36%)
  • França – 1875 (37%)
  • Reino Unido – 1245 (70%)
  • Brasil – 1381 ( 8%)
  • Estados Unidos – 2483 (19%)
  • China – 702 ( 7%)
  • Angola – 1004 (12%)
  • Média global – 1243

A Água Virtual de um produto ou serviço é a quantidade de água necessária para produzir esse produto, e inclui a soma de toda a água usada em toda a cadeia de produtiva.

O quadro apresentado ao lado mostra a água virtual de vários produtos alimentares e outros não alimentares.

(Fontes: Water Footprint Network, Quercus)

Dicas para evitar o desperdício de água

Hora do banho

Banho de ducha por 15 minutos, com o registro meio aberto, consome 243 litros de água. Se fechamos o registro, ao se ensaboar, e reduzimos o tempo para 5 minutos, o consumo cai para 81 litros.

No caso de banho com chuveiro elétrico, também em 15 minutos com o registro meio aberto, são gastos 144 litros na residência. Com os mesmos cuidados que com a ducha, o consumo cai para 48 litros.

Ao escovar os dentes

Se uma pessoa escova os dentes em cinco minutos com a torneira não muito aberta, gasta 80 litros de água. No entanto, se molhar a escova e fechar a torneira enquanto escova os dentes e, ainda, enxaguar a boca com um copo de água, consegue economizar mais de 79 litros de água.

Lavar o rosto

Ao lavar o rosto em um minuto, com a torneira meio aberta, uma pessoa gasta 16 litros de água. A dica é não demorar.

O mesmo vale para o barbear. Em 5 minutos gastam-se 80 litros de água. Com economia o consumo cai para 2 a 3 litros.

Descarga e vaso sanitário

Não use a privada como lixeira ou cinzeiro e nunca acione a descarga à toa, pois ela gasta muita água. Uma bacia sanitária com válvula com o tempo de acionamento de 6 segundos gasta de 10 a 14 litros. Bacias sanitárias de 6 litros por acionamento (fabricadas a partir de 2001) necessitam um tempo de acionamento 50% menor para efetuar a limpeza, neste caso pode-se chegar a volumes de 6 litros por descarga. Quando a válvula está defeituosa, pode chegar a gastar até 30 litros. Mantenha a válvula da descarga sempre regulada e conserte os vazamentos assim que eles forem notados.

Lugar de lixo é no lixo. Jogando no vaso sanit&aacut e;rio você pode entupir o encanamento. E o pior é que o lixo pode voltar pra sua casa.

Na cozinha

Ao lavar a louça, primeiro limpe os restos de comida dos pratos e panelas com esponja e sabão e, só aí, abra a torneira para molhá-los. Ensaboe tudo que tem que ser lavado e, então, abra a torneira novamente para novo enxágüe. Só ligue a máquina de lavar louça quando ela estiver cheia.

Lavar louça num apartamento, com a torneira meio aberta em 15 minutos, são utilizados 243 litros de água. Com economia o consumo pode chegar a 20 litros.

http://www.sabesp.com.br/CalandraWeb/CalandraRedirect/?temp=0&proj=pura&pub=T&db=&docid=C4B7E622A7962E6A8325711B005098ED

O custo da água em bens de consumo.

Segundo Mateus Lopes, as pessoas utilizam milhares de litros de água para beber, cozinhar e lavar roupa, mas utilizam ainda mais para a produção de bens de consumo, tais como alimentos, papel, roupas, etc. Cada indivíduo, empresa ou nação possui uma Pegada D’Água (Water Footprint), que é definido como o volume total de água doce que é utilizada para produzir os bens e serviços consumidos por essa pessoa, empresa ou nação.

A pegada d’água de uma nação mostra o volume total de água que é utilizada para produzir os bens e serviços consumidos pelos habitantes dessa nação. Uma vez que nem todas as mercadorias consumidas em um determinado país são produzidas no próprio país, essa pegada é calculada em duas partes: a utilização de recursos hídricos e o uso doméstico de água fora das fronteiras do país. Ela inclui inclui tanto a retirada de água da superfície como do subterrâneo, e a utilização de água no solo da produção agrícola.

Segundo um estudo da UNESCO, para se produzir 300g de carne de porco, são necessários 1440 litros de água. Um bife de peito de frango “custa” 1770 e assim por diante. Veja na tabela abaixo alguns comparativos e tire suas próprias conclusões:

Produto Unidade Litros de Água
Açúcar 1kg 1500
Algodão 1 camiseta 2700
Café 1 xícara 140
Carne 1kg 15500
Cerveja 1 copo 75
Cevada 1kg 1300
Frango 1kg 3900
Hamburguer 1 unidade 2400
Leite 1 litro 1000
Milho 1kg 900
Ovos 1 unidade 200
Pão Uma fatia 40
Papel 1 folha A4 10
Queijo 1kg 5000
Soja 1kg 1800
Trigo 1kg 1300
Vinho Uma taça 120

Outro número interessante do estudo é o cálculo do gasto de 80 litros de água por dólar de produto industrializado. É claro que trata-se de uma média global, devido à miríade de indústrias e países onde se encontram. Enquanto nos EUA a média é de 100 litros por dólar, em países como a Austrália e o Canadá ela é 10-15 litros, enquanto na Índia, 20-25 litros.

Entretanto, é também importante notar que a agricultura é responsável pela maior parte da água consumida no mundo, superando em 10 vezes o consumo da indústria. Daí a importância de escolhas conscientes não apenas de produtos industrializados mas principalmente, dos alimentos que consumimos.

A água é o mais precioso recurso vital da humanidade!
Alguém realmente quer saber como será a vida em nosso planeta diante da falta de água?
Acredito que não!

Fontes:
http://www.waterfootprint.org/
http://www.traumkrieger.de/virtualwater/
http://mudeomundo.com.br/2008/02/20/o-custo-em-agua/


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: